Assine a
Newsletter
Semanal

Nome
Email

Receba
Atualizações
Diárias

Email
Inscreva-se

sábado, junho 09, 2007

Santa Ceia




Quase todos os cristãos concordam com a importância da Santa Ceia e celebram-na seja diariamente, semanalmente, mensalmente, etc. Os quatro Evangelhos citam a ceia de Cristo com os Apóstolos durante a páscoa judaica, sendo esta a última que o Senhor tomaria até a sua gloriosa volta, e a ordenança para que os cristãos o façam em memória Dele.

Portanto já estamos acostumados com todo o ritual e embora todos os Evangelhos relatem o acontecido (apenas João dá pouca ênfase) o texto mais usado na celebração é a primeira carta de Paulo aos Coríntios no capítulo 11, talvez pelas advertências do Apóstolo com relação àqueles que a tomam indignamente.

Como o cristianismo é cheio de ramificações e interpretações a respeito das Escrituras, a Santa Ceia não seria uma exceção. Existem igrejas onde apenas os batizados podem tomá-la, em outras qualquer pessoa que confesse ao Senhor Jesus pode recebê-la, e ainda existem aquelas onde uma pessoa com pecados escandalosos são impedidas de participar desse momento.

Faz-se necessário, portanto, voltarmos aos textos das Sagradas Escrituras, pois somente elas são capazes de nos instruir em nossos caminhos.

Não colocarei os textos aqui, mas são eles: Mateus 26:17-30; Marcos 14:22-26; Lucas 22:14-23 e em João no capítulo 13 o momento é apenas citado sem maiores detalhes. Além da primeira epístola de Paulo aos Coríntios no capítulo 11 do verso 17 ao 34.

Desde criança sempre achei que o "tomar indignamente" que Paulo diz estava relacionada aos meus pecados não confessados, mas assim que os confessava tornava-me digno para a Ceia. Hoje tenho convicção de duas coisas, a primeira é que ninguém tem autoridade para impedir quem quer que seja de participar da Ceia, o próprio Jesus não impediu o traidor Judas de tomá-la, e Judas já estava em pecado pois anteriormente já praticava furtos das ofertas aos Apóstolos e já havia combinado com os sacerdotes a traição de Cristo. O filho da perdição não foi impedido de tomar a Ceia pelo próprio Cristo, portanto, quem somos nós para impedir qualquer um por maiores que sejam seus pecados de participar? Segundo as instruções de Paulo cada pessoa deve examinar a si mesmo.

Minha segunda convicção é de que não é nossa condição pecaminosa que deve nos impedir de participar da Mesa do Senhor, visto que todos pecamos e ainda pecaremos até a glorificação de nossos corpos e que por mais que vivamos em Santidade ainda assim somos indignos perante Deus de qualquer coisa, quem nos justifica é Cristo. Isso significa libertinagem para tomar a ceia de qualquer jeito? De forma nenhuma! Um cristão verdadeiro quando peca logo arrepende-se e procura abandonar essa prática, mostrando contrição perante Deus e frutos dignos desse arrependimento, então se a Ceia é o único motivo que nos impulsiona a pedir perdão de nossos pecados, então estamos vivendo uma vida indigna do próprio Cristo!

Portanto o pecado não nos torna indignos da ceia (mas uma vida distante da santidade, sim!), então o que Paulo quer dizer com o "indignamente"? Basta olharmos atentamente o contexto da carta, os versículos antes da instrução de como deve ser a Ceia e o porquê do Apóstolo tê-las escrito. No versículo 18, o primeiro ponto é que Paulo afirma saber haver divisões dentro da igreja e de acordo com o versículo 21 parece ser uma divisão por causa das classes sociais. Aparentemente cada um levava os elementos que ceiariam, porém os pobres não tinham tal recurso, esperando que os irmãos mais ricos compartilhassem o pão e o vinho, mas não era o que estava acontecendo, os mais ricos tomavam sua própria ceia, chegando até a se embriagar enquanto os mais pobres passavam fome. Ora, eis a razão que os tornava indignos de participar da Ceia do Senhor, seu coração estava cheio de egoísmo, glutonaria e bebedice, e não consideravam a importância simbólica da Ceia, que é o anúncio da morte do Senhor até que Ele venha. Para eles a Ceia era apenas uma oportunidade de se empanturrar.

Com isso, concluo que os indignos de tomar a Ceia do Senhor são aqueles que ignoram seu significado, que acham algo banal, que o fazem sem lembrar-se da morte do Salvador e sua gloriosa ressurreição, que desprezam a Sua iminente volta. Também enxergo que qualquer um que tem vivido o Evangelho e que tem o mesmo sentimento que houve em Cristo pode participar da Mesa do Senhor, mesmo que ainda não tenha se batizado nas águas, mas como o ladrão da cruz já foi justificado por Jesus.

Que possamos nos encontrar dignos, não só de tomar a Ceia, mas de sermos chamados Filhos de Deus.

4 comentários:

O PENSADOR disse...

Caríssimo professor,..., texto muito bem escrito e defendido. Meus parabéns. Se não se incomodar irei acrescer uma ou duas linhas ao seus escritos, creio eu que em concordância com seus textos e ainda, ampliando um ponto que acredito ser deveras importante...

Refere-se ao momento em que Cristo menciona a Santa Ceia como a Nova e Eterna Aliança... continuando em sua linha de raciocínio, estas palavras deveriam falar alto aos nossos corações, pois Cristo está convidando a todos a participar da Ceia como Confirmação, ou ainda, renovação da aliança firmada com Ele, ..., até que ele volte. Não deveríamos deixar de ceiar. Este é o um convite deveras crucial. Somos convidados a participar da Nova Aliança, no amor e na graça de Cristo...

Valeu Mateus pelo excelente texto, e não resisti a colocar este adendo, já que tenho a mesma linha de pensamento sua, talvez não tenha estragado esta reflexão com este acréscimo...

Graça e Paz... Parceiro...!
Espero que esteja tudo bem com vocês por aí! EBD, JNI, Igreja, Irmãos. Etc Um abraço a todos! Luiz, Mateus e PP, extensivos a toda JNI

TAINARA disse...

Tambem concordo com o professor, gostaria de acresentar algo que jugo de mais importante na minha denominação(ass. de Deus) e que antes de participar da santa ceia, um membro que estiver em pecado levanta e pede perdão a Deus e a igreja para paticipar da santa Ceia. o que o professor acha disso?...

Matheus Soares disse...

Tainara, primeiramente obrigado pelo comentário. Com relação ao ritual de confessar pecados em sua igreja, tenho algumas ponderações:

A ceia, é obviamente, um momento santo. É aquele momento em que trazemos o sacrifício de Cristo à mente, lembramos que somos salvos por graça - isto é, sem mérito algum. Portanto, logo de cara, a gente pode ver que "confessar pecados" parece mais uma forma de tornar-se digno à participar da ceia, seria um mérito, o que em sua essência faz perder o sentido original da Ceia, onde lembramos que é o sangue de Cristo que nos perdoa e não nossos atos de justiça.

Isso não invalida nossa necessidade de que sempre devemos confessar nossos pecados, devemos buscar o arrependimento sincero e procurar viver uma vida santa e irrepreensível.

Gostaria muito de ver esse momento na sua igreja. Pois se todos os pecadores devem confessar seus pecados, isso quer dizer que TODOS lá dentro devem fazê-lo, tendo em vista que todos pecam.

Uma questão... os pastores também confessam seus pecados?

É pra se pensar...

Paz e bem!

Matheus Soares

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Related Posts with Thumbnails